pedra n’água

sobre o zinco do teto flutuante, repousam braços e pernas estirados, enluarados sob a luz a pratear, bailando conforme a condução molhada, mareada, do rio-mar das tuas águas. solitário arco. rasgando o negro manto, cruzamos, em par, a densa noite sobre as profundezas do teu niger espelho, do teu chamado um solfejo, deslizando, abrindo-lhes sulcos […]

Frustração

Outro dia sonhei que voava. Era um misto de voo pleno com pulos muito altos que me impulsionavam a grandes distâncias e que, por alguma razão, ao cair não sofria influência direta da gravidade. Era como se eu plainasse no ar, como uma folha pequenina que despenca da copa de uma árvore e traça uma […]

Pacotes de Memória

A morada que se localiza bem na curva do vento é a minha, é lá onde os cheiros mais diversos e carregados de memórias me lambem os cabelos, a pele e todos os buracos da minha cabeça, refrescando-me os pensamentos de sopro e ar, que pairam e planam e aterrissam espalhados, espalhando-me por aí.  São […]

GELATTO

 Embalada pelo sacolejo que desorganizava todos os meus órgãos internos, lutava para fugir do sol que invadia e que me bronzeava a revelia pela janela quando, desorientada, levantei e deslizei para me juntar ao mar de cabeças que inundava de suor o estreito corredor do ônibus. Era meio-dia. Os perfumes misturados ao azedo das camisas […]

LAMA

Absorta na profundidade púbere que são os teus olhos, adentro sorrateira os escaninhos do teu riso vasto, emoldurado de um vermelho sangue pelas flores que exalas da tua primavera interior e que derramas sobre mim sob a forma de espessa chuva, banhando-me a carne e a mente da nobre e requintada fragrância que é o […]

GOTEJO

Sentir o calor levantar do asfalto e se deitar por sobre a pele, derramando sobre ela o cheiro de sol. Nela entornar a fragrância, se perfumar. Banhar-se de sal na bica do mar interior e estancar os buracos sanguinolentos da carne. Se deixar atravessar pelos raios de fogo que me fritam a cabeça e me […]

O FRUTO CARNOSO DO DESEJO

 Na mais completa e profunda carência das belezas que a vida, tão comumente, oferece em caudalosas cascatas luminosas de toda a graça que há, e que brotam reluzente a cada nova esquina, não raro me permito fascinar por tudo aquilo que se difere dos demais pela perfeita  e dadivosa organização e harmonia rítmica do seu […]